Artigo

Categoria

Compartilhe

A sustentabilidade empresarial vem sendo discutida há algum tempo, mas nos últimos anos tem passado por transformações expressivas. O artigo “A new green wave”, publicado pela revista britânica The Economist, como o nome sugere, afirma que estamos vivendo uma nova onda de sustentabilidade. Eles destacam que, na primeira leva de planos de sustentabilidade corporativa, os impactos eram superficiais e se tratavam apenas de uma maneira “verde” de cortar custos ou de explorar ações de marketing. A nova onda, pelo contrário, coloca a sustentabilidade no centro do que as empresas fazem e se concentra nos problemas sociais de forma mais abrangente. Como resultado, teremos organizações com possibilidade de aumentar a sua posição competitiva de longo prazo, já que haverá cada vez mais pessoas interessadas em empresas que pratiquem esse tipo de atitude.

Segundo um estudo feito em 2010 pela Edelman, 80% dos brasileiros ajudariam uma marca a promover seus produtos ou serviços se houvesse uma boa causa por trás disso (a média mundial é de 61%). Isso sustenta a afirmação de que ter a sustentabilidade empresarial como foco das ações é uma necessidade mais do que prioritária, é emergencial. Vimos no texto “Apenas responsabilidade social e ambiental bastam?” que as ações de responsabilidade social são importantes para acessar recursos, aumentar a visibilidade para investidores e criar novas oportunidades de negócios. Entretanto é necessário ir além e estruturar estratégias que se alinhem a geração de impacto (econômico, social e ambiental positivo). É pensando nessa necessidade latente que a Certi desenvolve junto às empresas projetos que realmente gerem impacto impacto positivo sobre pessoas, comunidades e meio ambiente. Com uma visão ampla de empreendedorismo inovador que gera impacto positivo, os projetos têm base sólida e são pensados a longo prazo. Veja como funciona:

Sustentabilidade empresarial: como a Certi pode ajudar?

A equipe de projetos sustentáveis da Certi se envolve em diversos tipos de projeto que exigem distintas competências. Como vimos, a sustentabilidade empresarial precisa ser algo que impacte a empresa de forma sistêmica e associe-se com o entorno de forma profunda e duradoura. Há principalmente três tipos de demanda de empresas que chegam às nossas equipes. Veja qual delas se encaixa na sua necessidade:

Tenho uma boa ideia e preciso colocar em prática

Ninguém melhor para conhecer as potencialidades e necessidades de uma empresa do que sua própria equipe. A maioria dos clientes de sustentabilidade empresarial da Certi já têm uma ideia embrionária, ou mesmo um projeto encaminhado, mas querem validá-lo e aprimorá-lo. O nosso papel, nesse caso, é observar pontos fortes e fracos, lapidar a ideia, encontrar maneiras de torná-la viável e com resultados a longo prazo.

Recebi um recurso que precisa de uma contrapartida socioambiental

Muitos recursos, especialmente os cedidos por órgãos governamentais, exigem que as empresas beneficiadas ofereçam alguma contrapartida socioambiental. Como vimos no início do texto, na “primeira onda verde” era comum que as ações tivessem pouco ou nenhum impacto de longo prazo. Hoje, essa necessidade de contrapartida já é vista como uma oportunidade para que as empresas desenvolvam projetos que tragam impactos positivos tanto para as comunidades e o meio ambiente, quanto para a reputação e força da marca.

Quero alinhar o meu negócio aos preceitos de um Negócio de Impacto

De acordo com a Força Tarefa de Finanças Sociais, Negócios de Impacto são empreendimentos que têm a missão explícita de gerar impacto socioambiental ao mesmo tempo em que geram resultado financeiro positivo e de forma sustentável.
Nós desenvolvemos modelos de negócios que, além da viabilidade econômica, buscam também gerar impacto ambiental e social positivo. Em outras palavras, o seu negócio (quando concebido e desenvolvido na perspectiva de um empreendimento de impacto) deve beneficiar diretamente a vida das pessoas e do meio ambiente. O que até então era considerado um passivo ou um problema, passa a ser vista como ativo/oportunidade. Quer entender melhor o que é um empreendimento de impacto? Aqui é possível compreender um pouco melhor.

Quero adequar minha cadeia produtiva e aumentar minha competitividade ambiental e social: A Criação de Valor Compartilhado

O conceito da Criação de Valor Compartilhado reconhece que as necessidades da sociedade, e não só necessidades econômicas convencionais, definem o mercado. Reconhece, ainda, que mazelas ou deficiências sociais e ambientais volta e meia criam custos internos para a empresa — como o desperdício de energia ou matéria-prima, acidentes onerosos e necessidade de treinamento corretivo para compensar insuficiências na educação.

O Valor Compartilhado redefine as fronteiras do capitalismo. De acordo com os desenvolvedores do conceito, (Porter e Kramer (2011), ao conectar melhor o sucesso da empresa com o progresso da sociedade, abrem-se muitas maneiras de atender a novas necessidades, ganhar eficiência, criar diferenciação e expandir mercados.

Neste sentido, uma empresa pode criar valor econômico com a criação de valor social e ambiental. Para isso, existem três saídas caminhos que podem nos levar a Criação de Valor Compartilhado: (1) reconceber produtos e mercados, (2) redefinir a produtividade na cadeia de valor e (3) montar clusters setoriais de apoio nas localidades da empresa. Cada uma delas é parte do círculo virtuoso do valor compartilhado. O objetivo é melhorar o valor em uma área para abrir oportunidades nas outras. Aqui podemos auxiliar a sua empresa a se desenvolver com base nos pilares para que seja possível Criar Valor Compartilhado.

Tenho um problema ambiental e preciso de uma solução sustentável

Essa é a situação mais delicada, mas que pode ocorrer. Uma empresa que passa por uma crise ambiental necessita com urgência de um contraplano de retomada de reputação e reforço nas medidas de segurança para que o problema não volte a acontecer. Nesse momento, a Certi ajuda a avaliar quais são os caminhos mais efetivos para que a empresa retome o trabalho encontrando caminhos mais sustentáveis para manter-se no mercado em um mundo que valoriza cada vez mais a responsabilidade socioambiental.

Continuaremos falando sobre sustentabilidade empresarial aqui no blog. Acompanhe nossos textos e qualquer dúvida entre em contato conosco.

Artigos Relacionados

5 de outubro, 2017/ Bioeconomia

Apenas Responsabilidade Social e Ambiental bastam?

Compreender a responsabilidade social e ambiental no contexto das empresas pode ser mais complexo do que parece à primeira vista. O uso de indicadores econômicos convencionais (ex. Produto Interno [...]