Artigo

Temas

Compartilhe

Ter uma ideia inovadora e capaz de revolucionar o mercado é o sonho de todos que apostam no empreendedorismo como projeto de vida. Nas universidades, observamos que a ousadia e a vontade de fazer a diferença estão cada vez mais presentes na cabeça dos jovens que pretendem entrar no mercado de trabalho em breve. Tanto que, ter o próprio negócio já é uma possibilidade vislumbrada por vários deles. Segundo uma pesquisa realizada pela Endeavor com mais de 5 mil alunos e mais de 600 professores de todo o Brasil, 57,9% pensam em abrir um negócio no futuro. Criar o embrião de projetos inovadores é uma vocação de diversas universidades do Brasil. O que ocorre quando não há incentivo, na maior parte das vezes, é que essas ideias acabam se perdendo e nunca se tornam produtos rentáveis por falta de orientação ou de conhecimento.

Já falamos aqui no blog sobre como a inovação tecnológica pode ser fomentada com o objetivo de unir as duas pontas – academia e mercado. Esse processo, e todas as etapas envolvidas, é chamado ponte da inovação. Nesse caminho, estão os programas de fomento, as incubadoras, os parques tecnológicos, etc. Acontece que, para entrar nesse ciclo, a etapa mais desafiadora talvez seja o início. Isso porque despertar o interesse e fazer com que alguém invista seu tempo e suas ideias e se torne um empreendedor pode ser difícil, especialmente se ele não estiver ciente sobre os obstáculos que encontrará no processo.

Ecossistema de Empreendedorismo e Inovação: entenda como funciona, com detalhes, a metodologia Sinapse da Inovação

Projetos inovadores: como fazer dar certo?

Cientes de que o empreendedorismo é fundamental para o fomento à economia de uma região, diversos projetos e incentivos surgem e crescem nos estados brasileiros. Um exemplo é o Sinapse da Inovação, que reúne startups brasileiras com o objetivo de orientar sobre como tirar uma boa ideia do papel. Mas, antes de se inscrever em algum projeto de fomento, é preciso preparar-se e entender como funciona o processo. Quando observamos apenas as empresas que deram certo, parece fácil, mas o êxito de projetos inovadores depende de muito trabalho e de saber que:

Resolva uma dor do mercado

Alguns empreendedores possuem excelentes ideias, mas há barreiras que tornam o produto inviável. Alguns projetos, por exemplo, ainda não conseguem ter valor acessível o bastante para terem um mercado. Outros ainda não estão no momento certo para serem lançados porque não representam uma dor real da atualidade. Essa percepção precisa ser sentida a curto prazo, pois para um projeto ser viabilizado é preciso de investimento de tempo e dinheiro. Por isso, vá para a rua, converse com seus potenciais clientes, entenda suas necessidades e, a partir disso, desenvolva seu projeto com base em funcionalidade que solucionem uma dor do mercado.

Encontre os aliados certos

Projetos inovadores não são feitos apenas de uma boa ideia, mas também de suor e lágrimas. Antes de embarcar na execução de uma ideia, tenha certeza de que está cercado das pessoas certas, que tenham tanta vontade quanto você. A resiliência é uma característica fundamental do empreendedor e deve ser vista como premissa no início de um projeto.

Como aliados podemos citar também os projetos e as redes de apoio. Tentar fazer tudo sozinho, especialmente no começo, pode resultar em um grande fracasso. Tenha em mente que não é possível saber tudo e que agregar conhecimentos e competências complementares de outras pessoas será decisivo para o futuro.

Mudar de rumo faz parte do processo

Ter uma ideia fixa e não estar disposto a adaptar, repensar e refazer não é o caminho certo para criar um projeto inovador que virará um produto de sucesso. No decorrer do próprio amadurecimento da ideia, é possível que o próprio empreendedor perceba que a ideia inicial não é tão boa ou não é capaz de gerar tanto retorno quanto algo parecido, mas adaptado ao mercado. Isso faz parte do amadurecimento da maioria das Startups e não significa que a ideia é ruim, apenas que está amadurecendo.

Com essas dicas em mente, estude o ecossistema de tecnologia existente na sua região, procure programas de incentivo, informe-se sobre outros empreendedores que estão iniciando e siga em frente! Neste texto sobre a ponte da inovação explicamos com detalhes como a Certi tem atuado para promover ações voltadas a encurtar as distâncias entre uma boa ideia e o mercado.

Aqui no insights.certi sempre trazemos informações sobre o assunto.

Diretor de Empreendedorismo Inovador

certi@certi.org.br

Artigos Relacionados

27 de setembro, 2017/ Processos

Por que o layout fabril faz a diferença no ambiente produtivo?

Já mostramos aqui no blog como pequenos detalhes podem fazer a diferença no resultado de uma linha de produção. Um exemplo é o monitoramento de processos em tempo real. Com ele é possível [...]

25 de julho, 2017/ Processos, Produtos e Sistemas

Captação de recursos para inovação tecnológica: como conseguir um financiamento?

Você viu no post sobre lei de informática que a isenção de impostos para empresas que decidem investir em pesquisa e desenvolvimento é um importante incentivo. Hoje veremos que a captação de [...]

5 de junho, 2017/ Materiais Educativos

[CASE] MANUFATURA AVANÇADA Como funciona o sistema de coletas de defeitos implantado da empresa Exatron

Já falamos sobre como reduzir custos no produto final e aumentar a confiabilidade, metodologias de resolução de defeitos e monitoramento de processos em tempo real. Dando sequência aos nossos [...]