Artigo

Compartilhe

Parques tecnológicos são locais onde se concentram todos os elementos de um ecossistema de tecnologia: empresas, incubadoras, universidades etc. O objetivo de criar espaços como esse é estimular a interação entre as empresas e criar um ambiente que seja referência para a cidade, de modo que ele possa servir, inclusive, como um local de “testes” para as soluções criativas e inovadoras que ali estão sendo criadas e, posteriormente, possam ser escaladas.

Várias cidades do Brasil estão apostando em parques como estratégia para o desenvolvimento tecnológico da região. Eles melhoram a reputação das cidades por diversos motivos. Separamos 3:

Mostram interesse do governo

Muitos investimentos em inovação surgem a partir de empresas de fora do Brasil. Quando são construídos parques tecnológicos, há uma maior visibilidade sobre as regiões nas quais eles estão inseridos e maior segurança sobre o interesse político que há nessas empresas. Sendo assim, para quem vê de fora, dá mais segurança para os investimentos e maiores chances de fechar um bom negócio.

Colocam holofotes nas empresas da região

Há cidades com muitas empresas tecnológicas. Porém, se estão espalhadas, muitas vezes não há conhecimento sobre a existência delas. Juntas em um parque tecnológico elas se tornam mais visadas e mais fortes.

Acabam estimulando ainda mais inovação

Pode parecer mero detalhe, mas a proximidade física proporcionada por um parque tecnológico pode, sim, estimular interação entre as empresas que ali estão. É quase natural que parcerias sejam firmadas entre elas. Por isso, promover a criação desses ambientes é tão importante para o futuro das soluções tecnológicas.

3 motivos para começar um parque tecnológico

Um dos grandes exemplos de cidades que se beneficiam da tecnologia e dos parques tecnológicos é Florianópolis. Apontada por alguns como o Vale do Silício brasileiro, atrai anualmente cada vez mais jovens empreendedores, investimentos e empresas que encontram na ilha o local perfeito para o desenvolvimento das suas soluções. Mas por que esse investimento é tão interessante para as cidades?

1) Emprego e renda

A geração de empregos é a primeira consequência visível da criação de parques tecnológicos. Essa reportagem publicada pelo portal da revista Exame descreve a tarefa de encontrar um novo funcionário como “tática de guerrilha”. Isso porque eles realmente levam a sério o recrutamento de jovens para trabalhar nas empresas. Mais do que isso, sabem que, para que eles se tornem realmente capacitados para estar ali, precisarão treiná-los, já que se trata de algo totalmente novo e, se não fizerem, ninguém mais fará. Essa necessidade atrai jovens, movimenta universidades a se atualizarem e gera um ciclo sadio de desenvolvimento, muito benéfico para qualquer cidade.

2) Investimentos

Como mencionamos brevemente, empresas que estão organizadas em um parque tecnológico tendem a ficar mais visadas e aumentam as chances de receberem aportes internacionais e grandes investimentos que podem movimentar ainda mais a economia da cidade, gerando renda na forma de impostos. Outra vantagem interessante é que parques tecnológicos em geral também abrigam incubadoras. Por estarem perto de grandes empresas, elas também aumentam suas chances de ser incorporadas ou receber aportes financeiros.

3) Desenvolvimento intelectual

Uma das premissas dos parques tecnológicos é ter por perto as universidades. Isso é interessante tanto para as empresas – que têm acesso à inovação no seu estágio primordial e também podem ter contato com jovens promissores – quanto para as universidades, que podem receber incentivos para dar continuidade a projetos iniciados pelos alunos e firmar parcerias para que o ensino e a pesquisa não fiquem apenas no campo teórico e passem para a prática.

Para a cidade, a principal vantagem é a atração e posterior retenção de jovens talentosos e promissores. Em alguns locais onde há boas universidades mas sem mercado, acontece a ótima formação intelectual e posterior mudança para outros estados e até países.

Como a CERTI pode ajudar?

A CERTI tem ajudado diversos estados e cidades a desenvolver projetos para parques tecnológicos. O estudo para essa implantação é complexo e consiste, principalmente, em pesquisas e observar o potencial das empresas existentes, recrutar ideias inovadoras e entender o potencial e a vocação tecnológica de cada ecossistema. Isso é necessário porque não existe um modelo pronto. Cada cidade possui, naturalmente, relações que foram construídas e vocações que são inatas de determinadas regiões. Não respeitá-las e aproveitá-las iria, no mínimo, atrasar o sucesso do projeto.

Por isso, se você pretende criar um ambiente inovador na sua cidade, procure saber quais são os caminhos mais seguros e percorridos por outros locais que estão dando certo. Esse, sem dúvida, é o caminho para construir ambientes que serão a base do conhecimento local no futuro.

Caso tenha interesse em saber mais, entre em contato conosco.

Diretor de Empreendedorismo Inovador

certi@certi.org.br

Artigos Relacionados

10 de Maio, 2018/ Ecossistemas de Inovação

Desenvolvimento tecnológico: 3 ecossistemas inovadores que a CERTI já ajudou a construir

Promover o desenvolvimento tecnológico é um desafio constante para muitas cidades. Já não é novidade que esse segmento é um dos que mais devem se desenvolver e gerar lucros nos próximos anos. [...]

20 de Abril, 2018/ Ecossistemas de Inovação

Por que cidades inteligentes precisam de ecossistemas de inovação?

O termo cidades inteligentes normalmente é associado ao uso de tecnologias para resolver problemas cotidianos. De fato, há muitas experiências em andamento para tornar realidade algumas [...]

11 de outubro, 2017/ Ecossistemas de Inovação

Inovação corporativa: como a Certi pode contribuir para pensar além do tradicional?

A inovação corporativa diz respeito à vontade e à necessidade das empresas já consolidadas no mercado em buscar alternativas para pensar fora da caixa. Anteriormente no blog, falamos sobre as [...]