Artigo

Temas

Compartilhe

Você viu em um post recente aqui no Insights Certi que o Brasil ainda precisa correr para atingir o patamar da indústria 4.0. Em alguns casos, as empresas sequer chegaram ao patamar da 3ª revolução. Assim, se as empresas brasileiras não se esforçarem para transformar os processos produtivos em direção à manufatura avançada, certamente deixarão de ser competitivas; como em muitos casos já são. Será que sua empresa está pronta para essas mudanças? Separamos alguns pontos para que você possa fazer essa análise.

Manufatura avançada: o que é fundamental?

Sabemos que a manufatura avançada consiste em transformar e melhorar os processos no ambiente fabril de modo que haja o aumento da produtividade e da qualidade com a consequente redução de custos e do controle sobre a produção. Mas, na prática, o que isso quer dizer? Significa que o fluxo de informações, desde a fabricação até o cliente, precisa estar o mais integrado possível. Isso se viabiliza graças à tecnologias como: Internet das Coisas (IoT), big data, sistemas cyber-físicos, entre outras. Em fábricas adaptadas a esse conceito, as máquinas são capazes de identificar tendências, tomar decisões e comunicar-se umas com as outras. Porém, antes de chegar a esse nível, outros fatores são importantes. Para saber se sua empresa está preparada, observe como é feito cada um dos seguintes processos na sua empresa e comece a alinhá-los agora mesmo para conseguir atingir o status de manufatura avançada:

Fluxo de informações

A padronização da informação é o primeiro passo para qualquer fluxo de informações eficaz. Ele deve ser homogêneo, de ponta a ponta. Em empresas que trabalham com manufatura avançada, além da comunicação entre as máquinas, existem ferramentas para que as pessoas corretas recebam as informações corretas nos momentos corretos. A tecnologia é fundamental nesse caso, já que é muito complexo orientar pessoas para trabalharem de forma linear.

Mão-de-obra

No processo, é fundamental não confundir trabalho linear e comunicação homogênea com mecanização da produção. Pelo contrário, o objetivo é empoderar as pessoas para que trabalhem de forma eficaz em inúmeras situações. Para tornar isso realidade, a manufatura avançada prevê que a mão de obra seja mais qualificada. Essa, talvez, seja a parte mais complicada, pois não depende somente da empresa, mas também da base de educação e da vontade de aprender de cada funcionários. Por isso, é importante criar dentro da própria empresa mecanismos de qualificação da mão-de-obra para os processos produtivos.

Produto voltado à manufatura avançada

Para que uma fábrica trabalhe de forma autônoma e eficiente, os produtos precisam estar alinhados à este conceito. Nesse ponto, muitas vezes se faz necessário reprojetar ou revisar os produtos. Além de facilitar o manuseio pelas máquinas, o próprio produto deve se comunicar com o processo sobre como montá-lo ou consertá-lo. O mesmo vale para as máquinas que trabalham nas fábricas. Elas também devem ser capazes de avisar sobre uso crítico, necessidade de manutenção preditiva. Dessa forma, os erros tendem a zero e o lucro da empresa cresce.

Produtividade com qualidade

Aplicando esses conceitos, certamente a fábrica trabalhará mais e melhor. Erroneamente muitas pessoas associam produção em massa com baixo custo e com perda de qualidade, mas isso não é sempre verdade. Aumentar a produção é uma forma de reduzir os custos e tornar as empresas mais competitivas no mercado. Contudo, quando a consequência disso é a perda de qualidade, a vantagem tende a não existir mais.

Quero começar agora. Como fazer?

É importante destacar que, apesar de haver muitos pontos em comum, cada empresa possui peculiaridades que tornarão o processo de migração para a manufatura avançada singular. Dessa forma, o ideal é pensar caso a caso. Por isso, a Certi possui uma equipe especializada para estudar cada empresa e desenvolver soluções customizadas. Atuamos principalmente com três competências:

Gestão visual do Chão de fábrica ( Visual Shop Floor) – Tem como objetivo criar sistemas de coleta no chão-de-fábrica que permitam visualizar indicadores do status de produção e operação de máquinas. Portanto, fica mais fácil visualizar informações relevantes e agir rapidamente para solucionar possíveis falhas no processo com assertividade.

Sistemas para rastreabilidade e integração de produtos – Essa competência acompanha a premissa da manufatura avançada que diz que os produtos precisam comunicar-se com o processo. Por meio de softwares personalizados, cada unidade produzida pode ter um histórico completo, sistemas com instruções de montagem informatizadas, o que garante maior agilidade na montagem manual. É possível também integrar tecnologias de identificação e localização (códigos de barras, Datamatrix e RFID) para todas as etapas do processo produtivo.

Desenvolvimento de Sistemas supervisórios para aplicações industriais Desenvolvimento de Sistemas SCADA (Supervisory Control and Data Acquisition) – É o que permite monitorar e controlar processos industriais promovendo a comunicação com equipamentos (máquinas e sensores) em diferentes protocolos, já que é produzido a partir de Tecnologias Abertas.

Essas competências servem para capacitar sua empresa e fazê-la avançar rumo à manufatura avançada. Se ainda resta alguma dúvida sobre o assunto entre em contato conosco!

Diretor do Centro de Processos Produtivos

certi@certi.org.br

Artigos Relacionados

27 de setembro, 2017/ Processos

Por que o layout fabril faz a diferença no ambiente produtivo?

Já mostramos aqui no blog como pequenos detalhes podem fazer a diferença no resultado de uma linha de produção. Um exemplo é o monitoramento de processos em tempo real. Com ele é possível [...]

17 de agosto, 2017/ Ecossistemas de Inovação

Como projetos inovadores viram produtos rentáveis?

Ter uma ideia inovadora e capaz de revolucionar o mercado é o sonho de todos que apostam no empreendedorismo como projeto de vida. Nas universidades, observamos que a ousadia e a vontade de fazer a [...]

25 de julho, 2017/ Processos, Produtos e Sistemas

Captação de recursos para inovação tecnológica: como conseguir um financiamento?

Você viu no post sobre lei de informática que a isenção de impostos para empresas que decidem investir em pesquisa e desenvolvimento é um importante incentivo. Hoje veremos que a captação de [...]