Artigo

Compartilhe

A inovação corporativa diz respeito à vontade e à necessidade das empresas já consolidadas no mercado em buscar alternativas para pensar fora da caixa. Anteriormente no blog, falamos sobre as dificuldades dos empresários em fazer inovação tecnológica dentro de ambientes tradicionais. Ao mesmo tempo, as startups, ou pesquisadores que têm boas ideias, também esbarram em questões como a captação de recursos e obtenção de conhecimento para atingir o patamar aceitável de mercado. Essa distância entre as duas pontas ficou conhecida como o vale da morte da inovação, que faz com que grandes ideias se percam. A chamada pelos especialistas de ponte da inovação é justamente um conjunto de mecanismos de promoção da inovação nos seus mais diversos estágios. Nesse contexto, a inovação corporativa seria uma das possibilidades dentro da ponte para inovar. Nela, a empresa procuraria o pesquisador ou a Startup com um problema a ser solucionado ou com interesse específico em alguma ferramenta que esteja em desenvolvimento. Dessa forma, esse relacionamento se torna uma importante oportunidade para as empresas se reinventarem e acompanharem o mercado.

Open e Close:  como a inovação corporativa funciona na prática

Essencialmente, existem dois tipos de empresas que procuram ferramentas de inovação: aquelas que têm uma dor que querem solucionar e aquelas que sabem que precisam inovar, mas ainda não sabem como. Sobre este último caso, a necessidade de mudança surge a partir do momento em que os empresários percebem a vida útil de seus produtos e/ou serviços e entendem que é o momento de inovar na própria solução ou buscar inovações disruptivas que se incorporem ao seu portfólio. Para ambas, a inovação corporativa pode vir de dois modelos conhecidos como open innovation e close innovation:

Open

Na Open innovation a empresa busca alternativas para solução de problemas e ideias criativas no mercado, que tenham a ver com o produto que a empresa desenvolve. Essa procura  pode ocorrer em vários ambientes: na universidade, quando o projeto ainda é embrionário, nas incubadoras onde já há uma ideia formulada, ou até mesmo nas startups, que contam com o produto já praticamente pronto para ser entregue ao mercado.

Close

Na Close innovation as empresas se voltam para o próprio ambiente interno, ou seja, em soluções inovadoras que são, ou podem ser desenvolvidas dentro da corporação. Para isso, é necessário ter mecanismos para encontrar boas ideias vindas dos próprios funcionários. A vantagem é que, como já trabalham com a ferramenta ou a tecnologia empregada pela empresa, talvez sejam eles os maiores conhecedores das virtudes e dos pontos fracos do produto.

Mesmo tendo pleno conhecimento sobre essas duas formas de inovar, há a dificuldade em formatar as metodologias para alcançar bons resultados em relação à inovação corporativa. As dúvidas podem ser muitas:

  • Por que minha empresa precisa inovar?
  • Como acelerar o processo de inovação?
  • Como reduzir os riscos e aumentar as chances de sucesso?
  • Como identificar e validar oportunidades?
  • Mudança radical ou gradativa?
  • Open ou close?
  • Quando é open: onde encontrar esses pesquisadores e startups?
  • Quando é close: como motivar funcionários para desenvolver ideias para meu produto?

É justo na solução desses e outros questionamentos que a Certi trabalha. Os consultores atuam em primeiro lugar para identificar as dificuldades e oportunidades existentes de inovação corporativa. O mais comum é que as empresas já apareçam com uma ideia inicial e, a partir dela, desenvolvam novas alternativas por meio de um planejamento coletivo. Para isso, é feita uma análise aprofundada sobre o negócio, o mercado e as oportunidades existentes. Na maioria das vezes, após interações com os potenciais clientes, a ideia original sofre modificações significativas.

Em seguida, é a vez de buscar recursos para a execução das ideias. A Certi possui uma rede de contatos bastante consolidada e conhece dezenas de projetos que podem servir para todos os tipos de empresa. Sendo assim, funciona como elo entre empresas maiores e startups. A fundação auxilia na negociação sobre qual é a melhor alternativa para ambos: incorporar a startup ou torná-la um fornecedor?

Leia mais sobre o assunto no e-book “Fontes de financiamento para inovação: Como captar recursos?”

Depois de consolidados todo os passos para a inovação corporativa, um modelo é construído para que a empresa consiga, de forma sustentável, continuar o processo por conta própria. Com esse ciclo, a Certi contribui tanto para o crescimento das empresas em questão, como do ecossistema como um todo, já que ajuda a unir as duas pontas e desenvolver a tecnologia no país.

Ficou interessado e quer saber como a Certi pode ajudar a sua empresa? Escreva um e-mail para nós.

Coordenadora de Projetos de Empreendedorismo Inovador

certi@certi.org.br

Artigos Relacionados

31 de agosto, 2017/ Ecossistemas de Inovação

O que é um parque tecnológico?

Você viu nos textos anteriores que há uma série de etapas para que uma boa ideia supere os desafios inerentes à inovação tecnológica e se concretize em um negócio, com um produto disponível [...]

21 de julho, 2017/ Ecossistemas de Inovação, Materiais Educativos

[CASE SINAPSE] Como construir um ecossistema de empreendedorismo e inovação em uma região?

Em um mundo cada vez mais pautado pela tecnologia, inovar passou a ser uma necessidade. Por isso, uma série de mecanismos e metodologias têm como objetivo estimular a cultura empreendedora, [...]

23 de junho, 2017/ Ecossistemas de Inovação

Ponte da Inovação – o que você precisa saber sobre ações de promoção à inovação

Captar boas ideias e transformá-las numa inovação de sucesso: esse é um dos principais desafios das empresas nos dias de hoje. O processo de inovar necessita de uma boa ideia, que deve ser [...]